Palavra do Presidente

Saravá a todas e todos, irmãs e irmãos de fé!

O desafio de representar os Umbandistas do Estado do Paraná na presidência da FUEP, é um grande fardo. Notadamente quando existe o afastamento dos dirigentes eleitos e a decorrente centralização das tarefas em poucos nomes. Isso, geralmente causa um desgaste muito grande para aqueles que permanecem. Esse desgaste trouxe uma série de problemas para o Pai Anthony de Iemanjá, que o adoeceram, e ajudaram-no pela decisão de renunciar ao cargo para qual tinha sido eleito em 2017.

Após a sua renúncia, apresentada oficialmente na reunião conjunta do Conselho Deliberativo e Diretoria Executiva realizada no dia 03/03/2020 e acatada/aceita sem reservas pelos membros presentes, coube ao presidente do CD, Pai Jimmy de Oxóssi, estabelecer o rito, no estrito cumprimento do que prevê o Estatuto Social,  para a reposição do cargo em vacância de presidente da Diretoria Executiva.

Foi deliberado que se aproveitaria também para propor a substituição dos dirigentes que por motivos particulares, não querem mais ou não podem se dedicar a gestão da FUEP, já que será necessário realizar eleição complementar para oficializar o fato. Essa mandato, complementaria o mandato em curso, fechando a gestão 2017/2021 em abril de 2021, conforme o Estatuto Social vigente. Dessa forma, em abril de 2021 realizaríamos o processo eleitoral para a nova gestão, aí para um mandato completo de 4 anos.

Assim, foi proposta a substituição dos dirigentes (Diretoria Executiva e Conselhos Deliberativo e Fiscal) que não tem participado das reuniões, e não tem justificado a ausência. Foi estabelecido o prazo de 07/04/2020 para que todos respondam ao e-mail enviado pela secretaria do CD, perguntando quanto ao interesse ou não em permanecer no cargo, e a resposta negativa ou ausência de retorno da mensagem através do e-mail ou outro meio, até a data limite, acarretaria na substituição, por eleição complementar, de outros dirigentes, escolhidos entre os (as) novos (as) associados (as). A rigor, esses novos dirigentes, podem trazer novas e bem-vindas ideias e injetar um novo ânimo à direção atual.

Discutidas as alternativas, a mais viável e que menos problemas traria á gestão, foi movimentar o secretário atual do CD, Paulo Tharcicio Motta Vieira, o Paulão, que já tem a experiência de dois mandatos a frente da Diretoria Executiva para esse cargo e a Mãe Adriana de Iansã – Adriana Cristina Zielinski do Nascimento -, para a Vice-presidência da subsede Curitiba, Região Metropolitana e Litoral, que é o cargo de substituição do presidente da Diretoria Executiva nos impedimentos temporários. Assim, o Paulão e a Mãe Adriana administrarão a FUEP, em conjunto com o restante da Diretoria Executiva nesse prazo final do mandato.

A pandemia da covid-19 causada pelo novo coronavírus e o isolamento social imposto, que limita bastante as atividades, serviu como justificativa para que se postergasse a data limite para 21/04.

Reafirmamos o compromisso assumido na eleição de 2017, que continuaremos a perseguir diuturnamente, pelo bem comum da Umbanda e dos Umbandistas do nosso estado, quais sejam:

1 – A união dos Terreiros, Dirigentes e Fiéis Umbandistas em prol do bem comum: Fragmentados, cada um cuidando só de si mesmo, não chegaremos ao futuro que almejamos, só juntos e coesos conquistaremos a legitimação da nossa religião, atingindo de “direito” o importante papel que já desempenha “de fato”!

2 – Mobilizar os jovens Umbandistas: Buscar atrair os Umbandistas mais jovens – sem deixar de privilegiar a experiência dos mais velhos -, incluindo-os em diversas atividades culturais e sociais, trabalhando em iniciativas conjuntas para o fortalecimento da Umbanda e o desenvolvimento das comunidades de terreiros e da sociedade como um todo.

3 – Celebrar a vida: Após o fim desse isolamento social, esperamos poder entender tudo aquilo que realmente importa e emociona nessa vida, e, assim, comemorar desde as pequenas até as grandes conquistas, reconhecendo a presença divina onde ela se mostra.

4 – O cidadão Umbandista: A FUEP para ser importante na vida dos umbandistas não pode ser simplesmente Umbandista, tem que tornar-se um ponto de apoio dos menos favorecidos, dos grupos LGBT, das mulheres, dos negros e negras, dos idosos, pela sua legitimação e reconhecimento, somente assim, efetivamente fará parte do dia a dia dos Umbandistas.

5 – A saúde do planeta: Não menos importante é o cuidado com o planeta em que vivemos, preservá-lo é preservar a nossa fé, afinal a Umbanda é uma religião que faz de altar os pontos de força da natureza.

Pela Direção da FUEP, Pai Jimmy de Oxóssi (Presidente do Conselho Deliberativo, Paulão (Presidente da Diretoria Executiva e Mãe Adriana de  Iansã (Vice-presidente regional de Curitiba, Região Metropolitana e Litoral.

Axé!