↑ Retornar para A FUEP

Missão, Visão, Princípios e Valores

missao_visao_valores

Missão

A Missão é a razão de ser e define o porque da organização existir e a forma como vai colocar em prática a sua crença para realizar os seus objetivos estatutários.

Representar cultural, institucional, política e socialmente os Povos e as Comunidades Tradicionais Afro-brasileiras, Brasileiro-Afros e Indígenas, e outros povos tradicionais onde atue, seus dirigentes, frequentadores, simpatizantes e as comunidades por eles constituídas, dando-lhes visibilidade e buscando a sua integração plena a sociedade brasileira.

Representar cultural, institucional, política e socialmente os Povos e as Comunidades Tradicionais Afro-brasileiras, Brasileiro-Afros e Indígenas, e outros povos tradicionais onde atue é a síntese da nossa Missão, significa que buscamos efetivar essa representação, mas essa decisão vai além do interesse específico e considera o contexto e as consequências que podem afetar a sociedade como um todo.

Visão

A visão define o futuro, onde queremos chegar, assim a Visão da FUEP é:

Ser a Federação mais relevante e confiável para a vida dos Umbandistas, Dirigentes, Médiuns e Assistentes, bem como para o desenvolvimento da Umbanda e do nosso estado e do país.

Ser a Federação mais relevante significa ser a principal organização para os Umbandistas e ser confiável implica em sermos vistos como competentes e sustentáveis, e dotados da capacidade de ver a parte e o todo em nossas deliberações, ações e atividades.

Princípios

Princípios são as normas fundamentais que regem o pensamento e a conduta, enquanto lei moral orienta a adoção de determinados comportamentos de acordo com o estágio consciêncial da gestão. Estão associados à liberdade individual, uma vez que princípios devem ser fixados sem pressão externa apesar da influência do ambiente e do processo de socialização existente. Dessa forma os princípios da FUEP são:

• Proteger as tradições dos Povos e as Comunidades Tradicionais Afro-brasileiras, Brasileiro-Afros e Indígenas, e outros povos tradicionais onde atue, seus dirigentes, frequentadores, simpatizantes e as comunidades por eles constituídas;

• Fomentar a união destes e o seu desenvolvimento cultural, educacional e social, na mais estreita harmonia e fraternidade;

• Resguardar e respeitar a individualidade, a autodeterminação e a diversidade característica de cada um;

• Respeitar as instâncias da sociedade organizada, promovendo a Cultura da Paz;

• Realizar a gestão participativa, dinâmica e transparente comprometida com a democracia das decisões.

Valores

Valores são os critérios que orientam e inspiram as nossas ações, definem como a criatura humana pensa e toma as decisões numa organização, fundamentando a sua Cultura Organizacional.

• Comprometer-se com a construção do conhecimento e com a formação dos Povos e as Comunidades Tradicionais Afro-brasileiras, Brasileiro-Afros e Indígenas, e outros povos tradicionais onde atue, seus dirigentes, frequentadores, simpatizantes e as comunidades por eles constituídas;

• Instituir ambiente ético e pluralista, promovendo o amplo debate como instrumento da convivência democrática, preservando a unicidade e acolhendo a diversidade;

• Preservar e disseminar a cultura brasileira e os costumes presentes nos Povos e as Comunidades Tradicionais Afro-brasileiras, Brasileiro-Afros e Indígenas, e outros povos tradicionais onde atue e das comunidades por eles constituídas, baseados nos princípios da sustentabilidade ambiental;

• Propor políticas públicas de respeito e valorização dos Povos e as Comunidades Tradicionais Afro-brasileiras, Brasileiro-Afros e Indígenas, e outros povos tradicionais onde atue, seus dirigentes, frequentadores, simpatizantes e as comunidades por eles constituídas;

• Buscar o comprometimento da sociedade com as Comunidades Tradicionais Afro-brasileiras, Brasileiro-Afros e Indígenas, e outros povos tradicionais onde atue, e destas com a sociedade;

• Gerir com eficiência, eficácia e efetividade para o desenvolvimento pleno dos objetivos estatutários;

• Tratar com isonomia de direitos e deveres todos, sem exceção;

• Respeitar os critérios definidos para a alocação de recursos, divulgando periodicamente os demonstrativos fiscais e financeiros;

• Implementar a cultura de planejamento e avaliação contínua na realização dos objetivos estatutários.